sexta-feira, 17 de abril de 2009

Há um incêndio sobre a chuva rala

Em épocas de silêncios, o provedor fica puto, eu acho. E o blogue nem fala nada, se é que ele fala. É a Menina na Rede off-line, sem fazer contato. Como uma caixa de email que vc não abre há muito tempo. Caiu? A rede continua a balançar? Mas a menina nem quer comunicar? Ou sei lá?

Sei que as tessituras e tramas, da aurora literária (imagem do Mário, meu rei) ainda se cruzam. Os fios estão aí, falta é olho clínico para enxergá-los e puxá-los. Observar as mudanças da lua, as mudanças de temperatura, de rostos, acontecimentos e cenários. Nos momentos muito graves, ouve-se um blues ou algo que o equivalha, nos momentos agudos, um bom copo de gim, na ausência dele, haveremos de nos embriagar de qualquer coisa, inclusive de Baudelaire.

Deixa, deixa. Diriam os sábios. A grande roda da fortuna, clichezão literário para a 'mudança', continua a girar e mesmo estando em silêncio, pois a menina anda numa onda tonta, podemos utilizar outra voz, para falar: "para quem não sabe amar, fica esperando alguém que caiba nos seu sonhos..."

Vamos aprender, então, vamos lá!

2 comentários:

Patrickíssimo disse...

É o descontrole, Isadora, é o tal do descontrole que causa tudo isso: os incêndios, os sumiços, a balbúrdia e milhares de etceteras (sabe-se lá se possui acento agudo atolado no e!)

Estive por aqui.

Anônimo disse...

e chega o dia em que o balançar é tudo isso apenas: uma alegria.
quietude tem se lugar, pra barrar a hiperhiperhiper(comunicação).
menina na rede e suas negativas: bem-vinda!
um beijão e lhe encontro em outras paragens!
Mario Cobra