quinta-feira, 13 de março de 2008

Absurdetes do mundo: uni-vos !

Os primeiros quinze dias do novo Curso de Letras da Isa foram intensos. Absurdete que sou, tinha que haver un poquito más de la intensid... Nem hablo! Olhando para trás vejo o filme: começo a refletir os usos do texto, a definição de alguns espaços e contextos, que haverei de desvendar num futuro próximo. Partindo da idéia de que este blogue é meu, desfruto da minha liberdade de ter autonomia nos temas e no que quero dizer, e como dizer. As minha âncoras ? São as estratégias textuais que utilizo para referenciar as palavras,

Absurdo, Tudismo, Isadorar, Maravilhudo, Bonde, É Nóis,Boneca de Olinda, Alice, Intensidade, Psicodelia, Sarau, Beleza, Absurdos, Potência de Vida, Download do corpo, seres de potência, UFMGEZUDO, Fofoletudo, são palavras que compartilhamos. São os sistemas de significação construídos por mim e meus pares nos quais compartilhamos um mesmo olhar um recorte desta nossa realidade. É este o nosso instrumental.

Os primeiros quinze dias foram psicodélicos, no meu ponto de vista e, literalmente, passei mal. (coisas do emocional!). E, quando a montanha russa, em seu looping faz o giro, o que a gente sente lá no "mais alto"? Noooossa, indescritível. Só observo, e fico aqui blogando e sorrindo, Isadorissima. Refiro-me aos orgasmos de início de semestre em que tudo nos encanta, nos desafia, ou não, desde a teoria até as pessoas !

Sinto que me perco, por ter muito a dizer, dentro das estratégias coesivas deste texto. E esta é mais uma das reflexões que já pairam no ar... Os arrepios das aulas de Literatura que me fazem refletir se são mesmo os meus, os caminhos da Linguística. Partindo da idéia de que o blogue é meu espaço Isadoríssimo de falar, e com a vantagem de poder me esconder, (Telletubies e tímida !) a gente solta o verbo. Fios que puxamos, por exemplo nestes arrepios das aulas de Literatura, em que sou produto vivo e herdeira desta linguagem dita pós-modernidade...E porque, prioritariamente sou leitora e compartilho desta estética quebrada mesmo. Moderna ? Em que se pega a PALAVRA e se prega no muro ? Não é mesmo, releitura dos movimentos estudantis da década de 1970?

Sei que a Linguistica, a Gramatica, a Semiotica, A Língua e a Literatura, são os espaços, os primeiros passos, a construção de mais um olhar, um instrumental, um referencial teórico que - como diz o Mario - Sugira rumos, mas somente sugira, né? O CAMINHO É COM A GENTE ! Da mesma maneira que me soa nos ouvidos a linguagem da gente da periferia, passo a compartilhar também um dialeto acadêmico. Estas pessoas falam assim porque esta é a variante escolhida e portanto, preferida ? Sei lá mano !

Sei que aquela roladinha básica na grama foi só uma entrada de cabeça na loucura pessoal e como caloura, um bom porre aquece as entradas. Ai meu Deus, porque tanto sofrimento ?Que emoção é esta diante das possibilidades? Menino pequeno diante da loja de Doce ? E eu toda Isadoríssima indo a aula e indo, indo, indo... "O importante não é estar sempre indo ?"[1] Anarquicamente, indo.

* Com o pensamento no BONDE: Mário+ Isa + Cris e o Maravilha também.
(1)* Por José Deoclécio Andrade Ferraz

Um comentário:

EDVAN DIAS disse...

Olá,
adorei seus neologismos. Fico feliz em saber que vc., de um tempo pra cá, mudou-se só o que tinha de mudar. Sua essência está intacta!
Já me foi atribuído uma palavra, uma vez, por um amigo, nesse sentido seu. O Fábio disse que eu tinha cometido uma "edvanzada" (no sentido de prezepada, goianada etc...).

Bjs minha querida, gosto de mais de vc.!!